Translate

É a experiência da resignificação, de somar conhecimentos sobre a matéria que está sendo tratada. Especialmente aquelas que são complexas em locomover o objeto de estudo ao laboratório, por exemplo, na Astronomia. A observação junto com a experimentação, fazem parte de um método científico que trabalha de maneira complementária e permite realizar a verificação empírica dos fenômenos.

A reciclagem material não era a finalidade, mas se tornou a consequência.
NÃO AO CONSUMISMO! SE REEDUQUEM E CONSUMAM MENOS. O MEIO AMBIENTE, A SUA SAÚDE FÍSICA, MENTAL E FINANCEIRA AGRADECERÃO!



Visitantes

Seguidores

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Explorando o fundo do mar



As tartarugas marinhas são répteis que vivem nos oceanos em áreas tropicais e subtropicais. Existem sete espécies de tartarugas marinhas (tartaruga-oliva, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-verde, tartaruga-de-pente, tartaruga-de-kemp, tartaruga-de-couro e natator depressus). O tamanho das tartarugas marinhas adultas,  pode variar de 1 m até 2 m de comprimento, caso da tartaruga-de-couro ou tartaruga-gigante. Indivíduos adultos desta espécie podem atingir até 600 kg. Estes répteis se alimentam, principalmente, de medusas, camarões, esponjas e águas-vivas. As fêmeas atingem a maturidade sexual por volta dos 30 anos de idade. 
Nesta fase, ela retorna para a praia onde nasceu para depositar os ovos. Estima-se que entre 100 filhotes nascidos, apenas um chegará a vida adulta. Possuem um comportamento solitário e vivem grande parte do tempo submersas nas águas dos oceanos. 
O acasalamento das tartarugas ocorre nas águas costeiras ou profundas dos oceanos. 
Dependendo da espécie, a cor das tartarugas pode variar do marrom ao verde. 
Possuem sistemas de audição e visão bem desenvolvidos. Em função da caça predatória por vários anos, grande parte das espécies encontra-se em situação de extinção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.